Nova técnica de cirurgia bariátrica é aprovada no Brasil

Tiane Brites 3 de junho de 2010 20 8.404 visualizações   
Nova técnica de cirurgia bariátrica é aprovada no Brasil

A cirurgia de redução de estômago, procedimento cujo número de cirurgias cresce mais do que as de lipoaspiração e de implante de silicone no País, acaba de ganhar uma modalidade mais “light”.

Nova técnica de redução de estômago já é utilizada em hospitais brasileiros

O Conselho Federal de Medicina (CFM) aprovou a técnica chamada gastrectomia vertical, o que fez ampliar para três as opções de cirurgia bariátrica existentes no Brasil. A principal diferença dela para os outros dois tipos existentes (banda gástrica ajustável e o by-pass gástrico) é que a gastrectomia é menos invasiva, modifica o tamanho do estômago sem mexer na anatomia do intestino.

Aprovada no final do ano passado, a versão mais light começa a ganhar agora os principais hospitais cirúrgicos. O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, Thomaz Szego, diz que uma das vantagens da nova técnica é que ela compromete menos a absorção de nutrientes do organismo, como acontecia com os métodos mais antigos. “Pode ser recomendada para quem já tem alguma deficiência de cálcio (osteoporose) ou de vitaminas”, afirma Szego.

Magro pode?

Marcelo Z. Salem, cirurgião de aparelho digestivo pela Universidade de São Paulo e membro da Federação Internacional de Cirurgias da Obesidade (IFSO), completa a lista do grupo recomendado para a nova técnica bariátrica: pacientes com risco cirúrgico muito alto, por exemplo, com algum comprometimento cardíaco. “É uma espécie de meia cirurgia, que só é feita no estômago, e diminui os impactos no corpo”, explica o cirurgião. Segundo ele, a nova técnica desponta como uma tendência futura, ainda a ser estudada. “Se ela (cirurgia) se mostrar uma técnica boa e com poucos efeitos colaterais, pode ser que no futuro o CFM flexibilize as normas para que esta cirurgia seja feita em pessoas não tão obesas. Mas o Conselho de Medicina ainda exige mais indícios científicos para respaldar essa regulamentação”, informou Salem.

Atualmente, só podem fazer cirurgias bariátricas pessoas extremamente obesas, com índice de massa corpórea (IMC) acima de 40 – para calcular é preciso dividir o peso pela altura ao quadro. Quem tem IMC 35 e alguma doença crônica (como diabetes) também está liberado para ir para a mesa de operação. Em todos os casos é preciso avaliação médica e o paciente deve ter mais do que 16 anos.

Pontos contras da nova bariátrica

Da mesma forma que os médicos reconhecem os benefícios da técnica gastrectomia vertical, eles também enxergam desvantagens. Por ser muito recente ainda não há dimensão concreta dos seus possíveis efeitos colaterais e também da sua eficácia.

É fato que para ter sucesso no processo de emagrecimento, o paciente precisa ter mudanças de hábitos com relação à alimentação, mesmo após a cirurgia de redução do estômago. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, atualmente, o índice de reganho de peso após o procedimento cirúrgico é de 10%. A técnica mais light da bariátrica, justamente por ser menos invasiva, pode ter uma taxa de insucesso maior que só conseguirá ser calculada em cinco anos, no mínimo.

O perfil do operado

Durante o ano passado, foram realizadas 30 mil cirurgias bariátricas no País, um aumento de 10% em relação ao total de 2008. É uma das técnicas cirúrgicas que mais cresce. Para efeitos de comparação, no intervalo de 12 meses, as lipoaspirações e implantes de silicone aumentaram 3,5%.

As mulheres são maioria entre os operados e somam 60% no total de cirurgias. A faia etária mais recorrente é entre 20 e 40 anos. A liderança feminina é explicada por elas serem maioria no grupo de obesos (o dobro segundo a Associação Brasileira de Estudo para Obesidade) e também por sofreram mais os impactos sociais dos quilos extras. “A paciente obesa já se coloca em segundo plano. É a melhor amiga da menina bonita, acompanhante, motorista dos filhos das irmãs. O emagrecimento puxa a vontade de ir à academia, comprar roupas e de conquistar uma melhor qualidade de vida social”, afirma o cirurgião digestivo Marcelo Z. Salem.

Impacto social

Por ter influência direta na vida do operado de cirurgia bariátrica, as pesquisas clínicas têm focado em mensurar as transformações sociais após a cirurgia bariátrica. Pesquisadores de Pernambuco e Florianópolis, por exemplo, já começaram a reunir dados sobre as transformações após a operação, segundo o Caderno de Saúde Pública.

FONTE: IG DELAS



20 Comentários »

  1. debora 11 de novembro de 2010 at 13:17 - Reply

    Gostaria de saber se qualquer obeso pode fazer a cirurgia de redução de estomago e se o convenio com a unimed cobre os custos ou parte deles.Se puder enviar resposta agradeço.
    Achei muito interessante os esclarecimentos acima.

    • Tiane Brites 12 de novembro de 2010 at 17:52 - Reply

      Olá Débora, tudo bem?

      Existem requisitos que devem ser verificados para realização desta cirurgia. Os planos de saúde devem cobrir a cirurgia, porém sendo pré-existente, ou seja, se voce declarou na contratação do plano que você era obesa e o contrato for recente, você deve aguardar carência de 24 meses, caso seu contrato com seu convênio já ultrapasse esses 24 meses, basta marcar uma consulta com o cirurgião bariátrica para que seja feita uma análise da sua saúde e verificada o grau de obesidade em que se encontra. Os planos só cobrem a cirurgia com imc acima de 40 ou acima de 35, quando o paciente possue alguma comorbidade associada a obesidade, como por exemplo pressão alta, dores articulares, diabetes…

      Espero tê-la ajudado!

      Sucesso!

      obrigada pelo contato,



      Tiane Brites
      http://www.magraemergente.com
      http://blog.magraemergente.com
      http://receitaslights.magraemergente.com
      Sem esforço não existe resultado!
      contato@magraemergente.com

  2. Joana Cristina 6 de dezembro de 2010 at 23:46 - Reply

    Quais profisssionai fazem esse tipo de cirurgia no Recife?

  3. Jozelca 10 de dezembro de 2010 at 1:58 - Reply

    Tenho 39 anos tive 3 gestaçoes e desde os 17 anos brigo seriamente com a balança, (efeito sanfona entre 58 Kg e 90 Kg) agora estou no muito gorda e com depressão, pois acredito q só serei feliz se emagrecer.Fazem 2 anos q minha irmã fez cirurgia de redução de estomago, e emagreceu 80 Kg ela está muito feliz, pois acreditava q nunca conseguiria perder peso. Eu já fiz mil loucuras inclusive tomando Inibex e Dualid, porém eles já não fazem mais efeitos, estou ficando desesperada e a ansiedade me faz comer compulsivamente, gostaria de saber se posso fazer essa cirurgia, mesmo com IMC abaixo do indicado. Peso 78 Kg e altura 1,60 estou usando manequim 46. Isso está afetando seriamente meu casamento, minha vida socual em suma geral. Acho que uma cirurgia é menos perigosa q todas loucuras q já fiz com medicação. Moro no interior do Rio Grande do Sul e gostaria de saber se é indicadaessa cirurgia e onde posso buscar orientação. Não tenhom plano de saúde e quero saber o custo dessa cirurgia particular.
    Obrigada

  4. Rosalina 4 de fevereiro de 2011 at 17:46 - Reply

    qual é o custo dessa cirurgia , sem qualquer convenio

  5. Vicente Ribeiro 11 de fevereiro de 2011 at 11:44 - Reply

    E fiz essa cirurgia a pouco mais de 6 semanas. A recuperação é extraordinária. Fiz diversas pesquisas sobre o assunto e técnicas disponíveis antes de optar pela vertical.

    • Elaine 26 de dezembro de 2011 at 17:01 - Reply

      Olá Vicente,

      Estou fazendo alguns exames para a realização da cirurgia. O meu cirurgião me indicou a Vertical, como vc está se saindo, teve realmente bastante perda de peso? como foi sua recuperação? No aguardo

      Elaine Mota

  6. GISELE MARIA CAVALCANTI SOUSA 29 de maio de 2011 at 12:07 - Reply

    OLÁ…. TENHO 30 ANOS E DESDE OS MEUS 16 ANOS APÓS A 1ª GESTAÇÃO TENHO PROBLEMAS COM A BALANÇA. HOJE DEPOIS DE 2 GESTAÇÃO ESTOU NO ALGE DO DESESPEROOOO… COM 1,60 E 88 KL JÁ NÃO SEI MAIS O QUE EU FAÇO!!! PENSEI NESSA NOVA CIRURGIA CIRURGIA QUE É IGUAL UMA ENDOSCOPIA MAS NÃO SEI SE CONSIGO FAZER…MEU IMC ESTÁ 34.4 ESTOU DESESPERADA…ME AJUDEMMM
    MEU E-MAIL É giselemaria_1@hotmail.com
    MUITO OBRIGADO

  7. surama 20 de agosto de 2011 at 15:44 - Reply

    Tenho 125KG e gostaria de saber quaia profissionais fazem a cirurgia (banda gástrica ajustável e o by-pass gástrico) no Recife ou em Maceió pois já fiz várias tentativas e o efeito é o mesmo sofona. Pois estou indecisa qual o melhor método poderiam mim ajudar, sou hipertensa, asmática e tenho refluxo de safena, e refluxo intestinal.Mim ajudem bjsss

  8. surama 19 de setembro de 2011 at 23:21 - Reply

    GOSTARIA DE SABER SE EXISTEM MÉDICOS CAPACITADOS PARA FAZER ESSES PROCEDIMNENTOS CIRURGICOS.

  9. Polly 15 de outubro de 2011 at 22:57 - Reply

    Tenho 24 anos e luto contra a obesidade desde os 12, ja fiz muitas dietas (do sol,da lua, do ovo, da salsicha, do lamen),tomei herbalife, ja fiz musculação, aeróbica, hidroginástica,mas nunca consegui emagrecer o necessário para meu tamanho ou pra ser feliz comigo mesma, ate coloquei o balão perdi 3 kg nos primeiros dias, não foi uma experiencia muito boa pois me incomodou muito.
    Faz tempo que quero fazer mais não tenho apoio da minha família, acabei engravidando, tenho um bebe de 5 meses, e assim que ele deixar a mama pretendo dar sequencia a minha vontade, tenho total confiança no Gastro que cuidou de mim quando tirei a vesícula,porem minha mãe morre de medo, pois uma fez precisou ficar internada e no quarto ao lado havia uma moça internada entre a vida e a morte devido a uma bactéria que atacou na are da cirurgia bariátrica.
    Enfim…gostaria de um conselho para saber como lidar com meus pais que não aceitam, como posso argumentar a meu favor, qual o melhor procedimento para meu caso.
    Ah…peso 100kg e tenho 1,60m de altura.
    Obrigada.

  10. Giselle 20 de outubro de 2011 at 13:03 - Reply

    Meu plano de saude é da amil nacional, gostaria de saber se o plano cobre a operação by intestinal??

  11. Sérgio Oliveira 6 de janeiro de 2012 at 12:57 - Reply

    Ola, gostaria de saber se a cirurgia com os “três furinhos” é coberta pelos planos de saúde e também se é verdade que existe novo procedimento cirúrgico onde é retirado do paciente apenas pequena parte do estomago, e o paciente pode se alimentar e beber qualquer quantidade de líquidos, etc.

    Gratíssimo.

    Sérgio

  12. Carla 24 de janeiro de 2012 at 21:27 - Reply

    Olá!
    Tenho 39 anos,peso 89 kg e tenho 1,59 de altura. Faço tratamento com endócrino ha mais de um ano,não tenho diabétes e nem hipertensão,apenas sofro com dores no joelho,minha endócrina me aconselhou a procurar um gastro cirurgião para avaliar a possibilidade de fazer a cirurgia da banda gástrica ajustável…será que tenho chance?

  13. Polyane 29 de fevereiro de 2012 at 13:12 - Reply

    Ola!
    Tenho 17 anos, peso 99 kg e tenho 1,53 de altura. Gostaria de saber se eu posso fazer a cirurgia bariátrica, nao tenho glicose e nem colesterol, tem tiroiede
    so tenho exeço de hormonio masculino a mais??? e queria saber se poço fazer ou nao essa cirurgia??? e sofro muito com dores?? sera q resolva alguma coisas ?? sera que tenho cance??
    porfavor me ajudem….

  14. Paula 24 de agosto de 2012 at 19:37 - Reply

    FIZ MINHA CIRURGIA POR ESSA TÉCNICA, E ESTOU MUITO SATISFEITA. OBRIGADA A EQUIPE DE DR ANDRÉ MATTAR.

  15. daiane 2 de dezembro de 2012 at 0:31 - Reply

    gostaria de saber se essa nova tecnica é feita pelo sus tambem?

  16. miriam 10 de abril de 2013 at 11:25 - Reply

    tenho imc 35 , e nao tenho diabetes, mais pressao um pouco alterada e tenho 9 pinos e 2 placa na perna, me impossibilitando de fazer exercicos com impacto, e dores nos pes. sera que a unimed cobre?

  17. fabiana 19 de maio de 2013 at 13:16 - Reply

    Olá tenho 36 anos 1,59 e no momento estou com 91kg. Nunca fui obesa, sempre tive entre 55kg e 58kg. No entanto de 2008 pra cá aumentei todo esse peso. Venho me tratando com endocrinologista e nutricionista, fazendo exercícios físico e nada tem adiantado ao logo de todos estes anos. Já coloquei um balão, porém o meu corpo rejeitou e tive de tirá-lo nos primeiros 7 dia. Os meus médicos indicaram então a Banda gástrica ajustável. O meu plano aqui em Recife é o AMIL Nacional. Preciso de ajuda pois não sei se o plano faz este procedimento. Já liguei pra la e as atendentes não sabem explicar exatamente. Por favor já não suporto mais esses 40kg a mais na minha vida, me ajudem no que devo fazer e qual medico aqui em Recife faz este procedimento por este plano. Muito obrigada.

Deixe sua opinião »

Plugin dos mesmos criadores deBrindes :: More at PlulzWordpress Plugins

Switch to our mobile site