6

Obesidade: sua cabeça está pronta para a redução de estômago?

Obesidade-sua-cabeça-está-pronta-para-a-redução-de-estômago

Todo ano milhões de brasileiros são submetidos a cirurgias de redução de estômago ou cirurgia bariátrica. O histórico é sempre o mesmo: depois de várias tentativas sem sucesso para emagrecer, tomamos uma decisão que pode ser radical: fazer a cirurgia de redução de estômago.

Algumas pessoas encaram a gastroplastia como uma ‘mutilação’, loucura, falta de vontade etc. A verdade é que  somente quem é obeso mórbido sabe o quanto é importante e necessário um procedimento como este.  A pessoa que se propõe a uma cirurgia de grande porte como é o caso da cirurgia bariátrica, não precisa emagrecer 10 ou 20kg. Na grande maioria dos casos (e eu torço que realmente seja isso), a necessidade de ter mais saúde vem junto com a necessidade de emagrecer 30, 40, 60kgs. É fácil julgar, mandar comer menos e dizer que você SÓ tem que emagrecer 30kg. Sabe quanto é 30kg? Pelo menos 6 pacotes de arroz!!! Não é pouco não e  menos ainda, fácil de se conseguir, porque na maioria das vezes a obesidade severa vem associada com outras doenças como: pressão alta, dificuldade de locomoção, dores nas juntas do corpo etc.

A cirurgia de redução de estômago salva muitas vidas quando é indicação é feita com critério e o paciente, tem um acompanhamento com uma equipe multidisciplinar. Em alguns casos, isso não ocorre, porque infelizmente as pessoas procuram a forma mais fácil de resolver as coisas. Preferem decidir hoje a fazer a cirurgia, em uma semana estar com exames prontos, marca a cirurgia e paga por ela e na outra semana,  a pessoa está operada, emagrecendo e totalmente insatisfeita com tudo, porque não esperava que tivesse que passar pelas fases líquidas, pastosas e sólidas. O despreparo também por parte de pessoas que se submetem à cirurgia através de planos de saúde é imenso. Todos os dias converso com pelo menos 5 pessoas que não tem qualquer suporte psicológico ou nutricional e por aí, vai se esbarrando nas dificuldades de manter uma alimentação balanceada.

A cirurgia de redução de estômago é vista como o pote de ouro. A redução de estômago NÃO vai mudar sua vida, mas se você mudar a sua vida, com certeza a cirurgia vai te ajudar.

1) Não será fácil
É muito tentador achar que a cirurgia será uma cura mágica. Na verdade, o sucesso depende de muita determinação do paciente para seguir as recomendações alimentares e se adaptar aos novos hábitos

2) Os resultados não serão imediatos
Normalmente, o resultado e a perda de peso total é vista depois de 1 a 2 anos da cirurgia. Portanto, não ache que vai sair do centro cirúrgico magra.

3) A cirurgia não vai mudar sua relação com a comida
Costumo dizer que a cirurgia é uma ferramenta, que com o tempo, vai precisar de alguns reparos e quem fará isso é o próprio paciente. Não adianta achar que fez a redução de estômago que nunca mais vai engordar, que vai poder comer tudo e na quantidade que sempre comeu. Mentira! Acredite, a compulsão alimentar não vai deixar de existir porque seu estômago foi reduzido.

Por isso e outras coisas, sempre falo e bato na tecla da importância do acompanhamento pré e pós-cirúrgicos com profissionais da psicologia e nutrição. Sem isso, é fato que haverá consequências: depressão, distúrbio de imagem (quando a pessoa não se vê realmente como ela é), substituição de prazeres como chocolate por sexo,  compras compulsivas, maior ingestão de álcool etc.

4) Você não vai virar uma top model
Não faça a cirurgia achando que vai emagrecer e ficar como uma modelo e sem necessidade de plásticas reparadoras. São raros os casos que isso acontece. Tire da sua cabeça o padrão de beleza que a mídia impõe, porque é algo inatingível, além do mais, você pode realmente ficar desapontada com a flacidez pós-emagrecimento. Não espere milagres!

Fundadora do MagraEmergente.com, ex-obesa mórbida, tendo emagrecido mais de 85kg após cirurgia de redução de estômago.

6 Comentários para “Obesidade: sua cabeça está pronta para a redução de estômago?”
  1. Luciana Aith comentou:
  2. Sonia comentou:
  3. Odetania comentou:
  4. josinete araujo comentou:
  5. Nikita comentou:
  6. cleibia dutra comentou:

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *