12

Gluteoplastia: cirurgia plástica para remodelar o bumbum

Gluteoplastia: cirurgia plástica para remodelar o bumbum

A flacidez de pele e do músculo na região glútea pode surgir depois de perda importante de peso, devido ao sedentarimo, ou, ainda, pela perda natural de elasticidade da pele devido à idade. A cirurgia plástica dos glúteos ou gluteoplastia tem como objetivos remodelar ou aumentar a região das nádegas nestes pacientes. O novo formato dos glúteos dependerá do tamanho, da forma das próteses utilizadas, bem como do biotipo original da paciente. Em geral, os resultados são bastante naturais, uma vez que as próteses são gelatinosas, maleáveis e se acomodam bem ao corpo.

O aumento desta região vai depender essencialmente de uma avaliação estética do cirurgião plástico. Como cada pessoa tem um biotipo e um formato de bumbum, devemos priorizar a escolha de próteses com tamanhos e formatos individualizados, visando um aspecto natural da região glútea, mesmo com uso de biquinis ou até sem eles.

O implante é realizado com anestesia de bloqueio (raqui ou peridural) ou anestesia geral.O procedimento exige ao menos um dia de internação e deve ser realizado em ambiente cirúrgico, com duração aproximada de uma hora e meia. A prótese deve ser colocada por baixo do músculo glúteo, através de uma incisão de cerca de cinco centímetros localizada na prega interglútea. A prótese submuscular confere um resultado muito natural ao procedimento.

No pós-operatório, a paciente terá que usar uma cinta modeladora durante um mês. Poderá haver dor nos primeiros dias, controlada com medicamentos. Recomenda-se que esta paciente caminhe a passos curtos e sente-se, quando necessário, sobre superfícies mais rígidas, com a coluna ereta,e vitando assim tensões sobre a cicatriz. Durante aproximadamente dez dias, também solicita-se que a paciente durma de barriga para baixo.

É fundamental o repouso no pós-operatório. A rejeição às próteses é rara e nesse caso as mesmas devem ser retiradas. A durabilidade das próteses ainda é incerta, mas pode chegar a mais de dez anos. Alguns especialistas acreditam que as novas próteses alcancem os 25 anos, mas não há comprovações.

A retomada gradual de exercícios físicos pode ocorrer após dois meses da cirurgia.

O planejamento

Muito importante para o resultado estético do aumento de glúteo com o uso das próteses de silicone é um planejamento cirúrgico pré-operatório detalhado. Se o paciente estiver com sobrepeso, é necessário corrigir o problema por meio de lipoaspiração. Já nos casos de flacidez cutânea, às vezes é preciso associar a técnica de lifting à colocação de próteses de silicone.

Normalmente faz-se uma incisão de forma circular na parte alta do glúteo para colocar a prótese. Há outras opções de incisões, como as inferiores, feitas no sulco do glúteo. Porém, há uma limitação posterior quanto ao uso das roupas de banho.

A escolha de formato e tamanho da prótese dependerá do desejo da paciente e, claro, da análise clínica feita pelo cirurgião plástico. As próteses podem ser redondas ou ovais, de tamanhos variáveis, sempre levando em conta a proporcionalidade do corpo, a forma prévia do glúteo e a personalidade da paciente.

Com o uso das próteses de silicone, pode-se aumentar o bumbum para trás ou para os lados. Como o bumbum feminino é mais redondo, devemos pensar em aumentar os glúteos tanto para trás como para os lados, utilizando próteses redondas. Em relação ao glúteo masculino, devemos pensar em aumentá-lo para trás, respeitando sua forma mais ‘quadrada’, usando próteses ovais.

A recuperação

Normalmente, a cirurgia de colocação de próteses de silicone deve ser feita por meio da anestesia peridural ou geral. O procedimento leva de duas a três horas, e tão importante como o planejamento pré-operatório e o intra-operatório é o pós-operatório. Solicita-se ao paciente evitar sentar-se por duas semanas, com exceção do período das refeições e para realizar suas necessidades básicas. Passado esse tempo, poderá voltar às atividades normais, com restrições.

Após dois meses, o paciente estará liberada para realizar atividades físicas, com exceção de exercícios físicos extenuantes na posição sentada, como cavalgar ou pedalar, o que demanda um tempo maior de recuperação. As próteses de glúteo são extremamente resistentes a impactos, não há risco de rompimento.

Portanto, a precaução diz respeito à saúde do paciente. Sempre que pensar em realizar uma cirurgia de colocação de prótese de silicone no glúteo, procure um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Mitos sobre os implantes de silicone

Muitas lendas rondam os implantes de silicone, principalmente quando a cirurgia realizada é a gluteoplastia. Na lista das informações corretas, está que, após a cirurgia dos glúteos, a pessoa não poderá mais tomar injeção ou vacina no bumbum. A agulha não vai estourar a próteses, mas pode causar micro-orifícios por onde haveria um extravasamento do gel de silicone, podendo causar problemas locais. Além disso, a medicação seria injetada dentro das próteses, sem efeitos para o organismo. Outras áreas intramusculares podem ser utilizadas, como os deltóides ou as coxas.

É importante reforçar que as próteses de silicone, quando bem posicionadas, não saem do lugar. Em relação aos mitos, o paciente não corre o risco de uma ruptura das próteses, por exemplo, numa viagem de avião. As cabines de vôo são pressurizadas e mesmo que não fossem, testes comprovam a resistência do material sob grandes variações de pressão. Assim, mergulhos em grandes profundidades ou o pára-quedismo estão permitidos.

As próteses de silicone são bastante resistentes, não só pela camada externa, mas também pelo seu conteúdo, que é um gel de alta coesividade, ou seja, mantém sua unidade mesmo se o envelope se romper. Além disso, as próteses glúteas são revestidas por múltiplas camadas e são mais resistentes do que as dos seios. Em caso de traumas mesmo que severos, as próteses tendem a se manter estáveis. Mesmo assim, em casos de dúvida, é sempre aconselhável que a paciente converse com seu médico.

Na hora da gluteoplastia é proibido:

- O uso de silicone injetável: o procedimento está proibido por lei, pois o silicone líquido, geralmente industrial, não é permitido para uso médico. Uma vez no organismo, a substância causa reações de rejeição,com processos inflamatórios graves e de difícil tratamento. Além disso,este líquido pode migrar pelo organismo ou mesmo através da corrente sanguínea e atingir órgãos como fígado,rins,pulmões e cérebro.

- Realizar a bioplastia: este procedimento só é permitido para injeções localizadas e de no máximo 1 ml por região, portanto sem utilização para a região glútea. Caso seja realizada em maiores volumes, a bioplastia pode causar reações semelhantes às do silicone injetável.

-Enxerto de gordura: todo enxerto de gordura é parcialmente absorvido pelo organismo,em proporções imprevisíveis,portanto podendo causar assimetrias e irregularidades quando em grandes quantidades.Além disso,em grandes volumes(necessários para o aumento dos glúteos) pode sofrer necroses e infecções no local,causando sérias deformidades.

Fundadora do MagraEmergente.com, ex-obesa mórbida, tendo emagrecido mais de 85kg após cirurgia de redução de estômago.

12 Comentários para “Gluteoplastia: cirurgia plástica para remodelar o bumbum”
  1. katia Falcão de Oliveira comentou:
  2. creusa fernandes de barros comentou:
  3. Jurema comentou:
  4. Keusia comentou:
  5. Joana Darc comentou:
  6. k comentou:
  7. RMei comentou:
  8. Paula comentou:
  9. Ana Lúcia Ribeiro comentou:
  10. Marina Campos comentou:
  11. Soraia comentou:

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *